Como você reagiria se eu lhe dissesse que a Programação pode mudar o futuro da humanidade?

Em tempos de pandemia muito se fala sobre o legado que o novo Coronavírus deixará para as próximas gerações. Há quem acredite que o distanciamento social e os novos hábitos possam transformar radicalmente nossa sociedade. O chamado trabalho remoto trouxe uma nova perspectiva positiva para um cenário até então sombrio. Em meio a demissões e quedas drásticas de faturamento, o teletrabalho ganhou força. A Confederação Nacional do Comércio estima que durante a pandemia essa alternativa tenha crescido cerca de 30%. Mas teríamos números tão expressivos caso o Covid-19 não existisse?

E o mesmo acontece com a nossa educação. Em um mercado que cresce, mesmo diante de uma das piores crises econômicas globais, são raros os casos em que temos no Brasil salas de aula que ensinam cada vez mais cedo as crianças a programarem. De acordo com o relatório da IDC Brasil, o setor de TI deve seguir com alta de 5,8% em 2020. O levantamento afirma ainda que as telecomunicações devem registrar aumento de 0,7% e a TI Coorporativa alta de 7,6% neste ano.

Oportunidade

Programação é o novo inglês da educação do futuro

Em um mundo cada vez mais conectado e tecnológico, o ensino da programação tem se tornado cada vez mais importante em preparar as nossas crianças para o mundo que está surgindo.

No Colégio Visconte de Porto Seguro, em São Paulo, o contato com lógica da programação começa ainda no ensino infantil, por meio das aulas de Linguagem Digital. Os pequenos, com idades entre 5 e 6 anos, trabalham no desenvolvimento de aplicativos que mais tarde são utilizados em sala de aula. Excelente! Mas infelizmente uma exceção. O Índice de Inovação Global listou Suíça, Suécia, Estados Unidos, Países Baixos e Reino Unido como os cinco principais países que investem em tecnologia. O Brasil? Sexagésima sexta posição.

Outro exemplo é a Inglaterra, que desde 2015 conta com a programação como disciplina obrigatória no currículo. Além disso, desde 2012 os ingleses abrigam a iniciativa Code Club, uma rede de voluntários que ensinam a linguagem das máquinas como atividade extracurricular nas escolas, bibliotecas e outros espaços de convívio por meio de jogos, animações e páginas na internet.

Ferramentas gratuitas para o ensino de programação

Hoje em dia existem uma série de jogos e ferramentas super interativas para que as escolas, os professores e os pais adotem no sentido de promover o aprendizado de programação, incentivando as crianças a aprenderem programação brincando.

Code.org

Code.org é uma organização sem fins lucrativos cujo objetivo é divulgar e ensinar programação a pessoas de todas as idades. A instituição tem parcerias com vários gigantes da tecnologia

Scratch

A ferramenta desenvolvida pelo MIT Media Lab permite às crianças criarem animações e histórias por meio de blocos que imitam a estrutura dos códigos. e é indicada para iniciantes.

tynker

Indicado para o aprendizado de habilidades básicas relacionadas à programação, o Tynker possui jogos divertidos e intuitivos. Há uma seção com dicas para utilizar a ferramenta.

Turtle Academy

Ensina as crianças a escreveram códigos por meio da programação visual, através do movimento de uma tartaruga que se desloca ao redor da tela  desenhando objetos

Do celular à catraca do ônibus, dos games a equipamentos de limpeza, a programação está cada vez mais presente no nosso dia a dia. E se quisermos deixar de ser controlados pelos softwares para passar a controlá-los, temos que entender como eles funcionam. Mais do que meros usuários, precisamos ensinar as crianças a ser criadoras dessas tecnologias.

Programar exige estar sempre atento e pronto para agir. Cobra saber o que fazer sob pressão, mas também estar preparado e bem orientado caso o inesperado aconteça. Oferecer, cada vez mais cedo, a possibilidade de levar a Programação às salas de aula, faz com que as crianças possam entender ainda jovem o termo “pensar fora da caixa”. Ensina a ter humildade de assumir erros, mas também a saná-los. A Programação é cíclica: tem começo, meio, mas não tem fim. E agora, também acredita que a Programação pode mudar o mundo?